HIGOR : SONHOS! COMO A IDEIA CRIOU FORMA

May 18, 2020

HIGOR : SONHOS! COMO A IDEIA CRIOU FORMA

Blog, Depoimentos, quadrinhos por Kinoene Arts #higor sonhos #Kinoene Arts #quadrinho #suzanne cascardi #visual

COM O LANÇAMENTO DO PRIMEIRO QUADRINHO, SUZANNE CASCARDI VEM CONTAR UM POUCO DE COMO FOI O PROCESSO, E COMO A IDEIA SE TORNOU NO QUADRINHO QUE TEMOS HOJE!

 

54516332_2172937546120448_5253579257455575040_o

COMO SURGIU A IDEIA DO QUADRINHO?

Suzanne – Surgiu em uma conversa com o João Raulex e Diego Machuca a cerca de uns 5 ou 6 anos quando eles me questionaram:

“Você tem alguma história, um projeto ou quadrinho que queira fazer?”

Fiquei com aquilo na cabeça por um tempo, lembrei que quando era menor mais ou menos a partir dos 7 anos anotava ideias de historias que gostaria de fazer. 

Desde essa idade queria trabalhar com essa parte de criação, na época mais voltado para o mercado de animação. Foi olhando essas anotações que me lembrei de uma história sobre amigos imaginários que tinha feito, e lá estava o conceito que usaria para a construção do quadrinho. A ideia de produzir um quadrinho veio justamente do fato de estar estudando e explorando mais esse mundo da narrativa em quadrinho, queria tornar minha historia um projeto concreto, tira-lo do papel  e apresentar as pessoas um universo mágico; passar sentimentos, emoções através de ideias e cores, faze-las refletir mas, a partir de uma leitura leve.

POR QUE AMIGOS IMAGINÁRIOS?

Suzanne –  Sempre foi um tema que me interessou bastante. Quando era criança eu tinha um amigo imaginário, era uma garota guerreira com uma roupa toda velha esfarrapada; o nome dela era “Cádia” lembro que ela era um pouco mais velha do que eu na época, era corajosa, incrível e passávamos um tempo juntas brincando, conversando, não consigo me lembrar de como ela sumiu mais lembro que ela se foi quando eu estava com 8 ou 9 anos. Na época, poucos amigos meus tinham amigos imaginários, eu achava estranho e cogitava o fato deles estarem invisíveis de alguma forma, “talvez eles estejam aí e vocês que não conseguem vê-los” eu dizia. E foi a partir disso que cheguei a escrever o conceito do universo do quadrinho anos depois; que é “todos nascem com um amigo imaginário mais nem todos podem vê-los”. A partir disso foram mais alguns anos para desenvolver todas as regras do universo, explicar a interação desses amigos imaginários com os humanos, criar regras e leis para que a historia funcionasse e tudo fosse explicado. 

52865296_2227209914195751_9046108965498257408_n

COMO FOI A CRIAÇÃO DO VISUAL DOS PERSONAGENS?

Suzanne –  Quando decidi que realmente queria fazer o quadrinho funcionar, comecei pensando primeiramente em como os amigos imaginários seriam, explorando o máximo da criatividade sem limitações. Um amigo imaginário poderia ser qualquer coisa! Minha interação com crianças dando aula no curso de Desenho Recreativo na Kinoene Arts ajudou bastante. Eles me reconectavam com uma linha de pensamento inocente e sem limites onde a magia alcança tudo! Quando crescemos as vezes esquecemos disso, a vida adulta cria limitações e é sempre bom poder resgatar aquela essência na hora da criação! Lembro de ter desenhado mais de 100 amigos imaginários incluindo o Deny um dos personagens principais! E estava bem feliz com eles, mas minha maior preocupação era fazer Higor (o personagem humano principal) um personagem mais orgânico e simpático! Gastei um bom tempo no desenvolvimento dele para chegar no resultado final.

 

NO QUADRINHO ELE TEM UMA IDENTIDADE VISUAL PRÓPRIA, VOCÊ ACHA QUE AQUELE VISUAL DO QUADRINHO FOI MAIS POR NECESSIDADE DO FORMATO OU FOI UMA ESCOLHA CONSCIENTE?

Suzanne –  Me formei em Desenho e Animação, acredito que muito disso tenha influenciado no estilo do quadrinho já que na minha mente a historia toda, personagens e cenários se moviam como em uma animação. Acredito que vai muito das referencias que cada um possui e também da maturidade.

Quando comecei a desenhar os personagens alguns anos atras, ainda era nova no estudo do desenho (e ainda me considero nova nisso!) e sempre me cobrei de mais (ainda me cobro muito! hahaha) nunca estava satisfeita com o resultado buscando sempre algo que fosse “perfeito”, mais com o tempo fui entendendo mais cada personagem da minha historia, ao mesmo tempo que me entendia como pessoa, assim consegui compreender melhor quais necessidades visuais a cada personagem deveria apresentar para representar melhor sua personalidade sentimentos e ideias naquele momento.

Acredito que cada coisa acontece em seu devido tempo! Não tinha pressa em lançar um quadrinho, só iria lança-lo se ele realmente contasse algo, se ele passa-se 

um sentimento, uma mensagem, tanto que ele demorou uns 6 anos para sair (risos…) tudo isso porque passei a maior parte do tempo trabalhando no roteiro, escrevendo mais 

sobre o universo, quanto mais você entende o universo que você criou, com mais profundidade fica sua historia e quanto mais você conhece seus personagens mais vivos

eles ficam na sua cabeça e isso ajuda muito na hora de desenhar, porque você realmente consegue visualizá-los! Fazer quadrinho não é só sair desenhando, é sentar na

cadeira e passar realmente muito tempo entendendo e muitas vezes reescrevendo a historia, e quanto mais você entender o mundo que criou, mais fácil será resolve-lo graficamente.


Venha visitar a escola!

Se interessou ou gostou da nossa escola?
Estamos aqui para tirar todas as suas dúvidas
CLIQUE AQUI